80% dos atendimentos do Complexo Hospitalar de Mangabeira são decorrentes de acidentes de trânsito

O Complexo Hospitalar de Mangabeira Governador Tarcísio Burity (Ortotrauma) realizou nos dois primeiros meses deste ano mais de 16.800 atendimentos entre ortopedia, ambulatório e clínica médica, desse total, 80% correspondem à pacientes decorrentes de acidentes de trânsito, encaminhados ao Setor de Ortopedia. A unidade atende cerca de 250 pessoas por dia.

“Temos observado que nossos principais casos são acidentes de moto com gravidade, necessitando cirurgias de urgências. Para esses casos, que são quase 90% dos nossos atendimentos, ofertamos uma grande assistência visto que na maioria os pacientes precisam de um maior tempo de internação”, explica Fabiana Fernandes, médica e diretora geral do Ortotrauma.

Apenas em janeiro deste ano, foram realizadas 604 cirurgias e mais de 460 no mês de fevereiro. Em 2018 o Complexo Hospitalar atendeu 103.418 pacientes, sendo 76.400 de João Pessoa e 26.672 pacientes de outros municípios, e realizou mais de 6.500 cirurgias. Do total, 90% dos casos foram de vítimas de acidentes de trânsito envolvendo moto com necessidade de cirurgia de urgência.

“É preciso que os condutores e motoristas fiquem mais atentos ao trânsito, obedeçam à legislação e entendam que naquele momento não é apenas a vida dele que é necessário proteger. 80% dos acidentes de trânsito são evitáveis, mas para isso é preciso que o condutor faça sua parte”, alerta a médica.

Às pessoas que tiveram algum acidente e foram submetidas a cirurgias de ortopedia na unidade hospitalar, no Ortotrauma são ofertados tratamentos de recuperação e reabilitação motora por meio do Centro de Reabilitação e Tratamento da Dor (Cendor).  O paciente de pós-operatório chega ao Cendor a partir da indicação do cirurgião e o tempo médio de tratamento varia conforme as particularidades de cada paciente.

Ortotrauma- A unidade hospitalar é referência no Estado da Paraíba em cirurgia de urgência e emergência de áreas abaixo do cotovelo e abaixo do joelho, conforme pactuação firmada com o Ministério da Saúde. Além disso, também realiza pequenas cirurgias sem internamento, consultas, exames laboratoriais e por imagem e atende urgências psiquiátricas por meio do Pronto Atendimento em Saúde Mental (Pasm).

Nos últimos anos, a unidade hospitalar aumentou sua capacidade cirúrgica em 100%, realizando uma média de 5.000 cirurgias por ano.

Deixe uma resposta